1

Jejum Intermitente: O que é, benefícios e resultados

Jejum Intermitente: O que é, benefícios e resultados

jejum intermitente

O jejum intermitente tem sido um dos assuntos mais falados na mídia juntamente com o famoso café com óleo de coco. E como esse tende a ser um assunto polêmico, convidei a minha nutricionista Stella Jacob – CRN 21661 para explicar sobre essa estratégia alimentar que vem sendo muito utilizada por aqueles que querem não só perder peso, mas também detonar gordura!


O que é o jejum intermitente?

O jejum intermitente é um tipo de alimentação que intercala períodos de ingestão controlada de alimentos com períodos de jejum absoluto. O método mais utilizado consiste em alternar 14-16 horas de jejum com 8-10 horas de ingestão alimentar controlada. Ou seja, nada de ficar sem comer e depois atacar hambúrguer com fritas ou um prato de macarronada para quebrar o jejum. As refeições nesse período de 8-10 horas devem ser ricas em proteínas magras e gorduras como castanhas, coco, abacate, azeite, gema de ovo, e com reduzidas quantidades de carboidratos, priorizando os integrais e os de baixo índice glicêmico, como batata doce, mandioca, mandioquinha, quinua e frutas como maçã, pêra, kiwi, frutas vermelhas.

Como se faz o jejum intermitente?
Costumo utilizar essa estratégia na dieta de pacientes que não têm hábito de tomar o café da manhã ou que não sentem muita fome pela manhã e acreditam que são obrigados a comer logo que acordam. Supondo que o jantar desse indivíduo seja às 20hs e a próxima refeição deverá ser o almoço, entre 12h e 14hs. Durante as 14-16hs de jejum, é permitido o consumo de água, chá natural ou café, sem adição de açúcar ou adoçante. Vale lembrar: Nada de produtos light cheios de adoçante, pois esse tipo de alimento faz com que o corpo libere insulina, e portanto, quebram o jejum.

jejum intermitente

Quais são os benefícios do jejum intermitente?

As vantagens desse método estão relacionadas com alguns hormônios. Por exemplo, estudos mostram que a secreção do GH (hormônio do crescimento) é favorecida nos períodos de jejum e otimizada em até 5 vezes no seu pico de produção durante jejuns intervalados. A regulação deste hormônio é fundamental para equilibrar a composição corporal e queimar reservas de gordura. Além disso, a insulina é o principal hormônio acumulador de gordura do nosso organismo. Períodos de jejum fazem com que suas concentrações sanguíneas diminuam, fazendo com que mais gordura seja consumida como fonte de energia.

O jejum também é capaz de regular a leptina, responsável pela saciedade, fazendo com que sintamos menos fome. Além disso, o controle da insulina junto com essa redução do apetite podem melhorar muito quadros de compulsão alimentar, principalmente por doces e carboidratos. O ideal para iniciar-se no jejum intermitente é procurar um nutricionista para avaliar se ele é ou não indicado para o seu caso e qual a melhor forma de inseri-lo na sua rotina!  – por Stella Jacob


Amanda Hilsen & Jejum Intermitente

Minha história com o jejum intermitente demorou para rolar. Para mim, a palavra "jejum" sempre foi sentida como algo muito sofrido já queeu sempre gostei de comer. Então, quando a Stella me propôs adotar o jejum intermitente minha reação foi: "Pra quê? – Eu só preciso perder mais 2kg para chegar no meu peso…não preciso desse sofrimento". Ela aceitou minha relutância inicial, e foi somente após o 1o. ano de consulta com ela (ver post) é que eu topei fazer o meu primeiro jejum intermitente com o famoso café com óleo de coco. 

O primeiro dia de jejum intermitente a gente nunca esquece…

Meu primeiro jejum intermitente foi um dia antes de uma corrida de 8k. Eu o fiz sob supervisão da Stella, e estava super apreensiva. Meu medo era sentir fome, mas mesmo assim topei o desafio. Levantei, preparei o café com óleo de coco e canela…olhei para aquilo e pensei: "Eu realmente quero perder gordura, senão jamais beberia essa gororoba". Tomei o café e para minha surpresa: era gostoso!! Fui para corrida e fiquei surpresa ao constatar que não senti nenhuma fraqueza, tontura, nada…pelo contrario, senti um super gás. A Stella havia me dito mesmo que o óleo de coco me daria energia para treinar, mas eu não acreditei nisso logo de cara. Demorei ainda um tempo até a adotar completamente o jejum, mas hoje eu o faço e sou feliz muito feliz! 🙂 Veja porquê.cardapio jejum intermitente

Meu corpo e o Jejum Intermitente

Cada corpo funciona de um jeito, ponto final. O meu, por exemplo, responde da pior maneira possível a carboidratos simples como pães, massas e doces. Sempre que eu como 1 unidade (de pão, pão de queijo, rosquinha, etc) eu nunca consigo parar na primeira. É terrivel esse sentimento de descontrole! Outra coisa, li no livro A dieta a prova de bala que se nós ingerimos carboidratos simples logo de manhã, nosso cérebro, por causa dos hormônios secretados, ficará "pedindo" por mais e mais carboidrato o resto do dia. Faça o teste. Experimente comer carbo simples logo cedo e perceba quanto de carboidrato seu corpo fica lhe pedindo depois.

Outra coisa, no meu caso que fui comedora compulsiva, realmente percebi ser verdade o que Stella fala acima sobre a regulação dos hormônios como a leptina  e insulina. No dia em que faço jejum intermitente, é muito mais fácil controlar a ânsia por doces e comidas supercalóricas. Por isso, quando monto meu cardápio da semana (olhe a foto acima), jogo os jejuns para o fim de semana (ver post) já que geralmente as tentações de comida são mais tensas nesse período. Eu tento me ajudar deixando meus hormônios "reguladinhos e quietinhos" e assim não ficar alimentando minha ursa interior rs.

Jejum intermitente é para todo mundo?

Não sei. Como disse, cada corpo responde de uma maneira, mas a biologia geralmente não mente. Ou seja, todas as nossas atitudes são governadas pelo cérebro que é balizado por hormônios. Se os níveis de hormônios estão uma bagunça, fica difícil controlar as ações e atitudes que nos levam a jacar. Por isso, acredito que, com o acompanhamento de um nutricionista, você conseguirá ver se o jejum intermitente  é uma boa ferramente para você. Para mim foi e hoje faço o jejum intermitente 2 vezes na semana. Em um ano fazendo essa prática, aliada a atividade física, vi uma excelente melhora na perda de gordura corporal. Veja como "sequei" em 1 ano:

jejum intermitente antes e depois

Bem é isso pessoal! Espero que esse post tenha ajudado aqueles que estão procurando saber mais sobre jejum intermitente e eventualmente vir a adotá-lo. Não esqueça de deixar seu comentário me contando sua experiência. Esse texto te ajudou? Então, não deixe de compartilhar com amigos e me acompanhar no Instagram para ficar por dentro da minha rotina de vida! Beijos até a próxima!

 

 

 

 

Crédito de imagem: arquivo pessoal e google images

 

One Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *