12

As Mulheres e o Drama do Efeito Sanfona

Efeito Sanfona e Beleza & Prosa

As Mulheres e o Drama do Efeito Sanfona

efeito sanfona

O efeito sanfona faz parte da minha vida desde que eu entrei na idade adulta. Esse eterno sobe e desce do ponteiro da balança faz parte de um dos vários dramas femininos que eu lido diariamente. Toda segunda-feira é o mesmo ritual. Acordo, vou ao banheiro, entro no closet e subo em minha balança para averigar o tamanho do "estrago" do fim de semana. 

Daí anoto esse peso em uma tabela passo literalmente a segunda, terça, quarta, quinta e sexta correndo atrás do prejuízo. Sigo meu plano alimentar passado pela minha nutricionista (ver artigo), faço atividade física, tenho minha rotina profissional enlouquecedora, cuido de um lar, cachorro e marido para no fim de semana eu poder "relaxar" e comer tudo que quero. Então, na segunda-feira começo o drama tudo de novo. Loucura, não? Pois é, minha vida… 

Na maior parte do ano isso funcionou para mim. Mesmo cometendo excessos nos fins de semana, eu conseguia manter meu peso dado o volume de atividade física e alimentação saudável de segunda à sexta. Porém, desde final de julho para cá minha vida entrou em um looping caótico, de forma que eu sucumbi e acabei entrando na dança do efeito sanfona. 

efeito sanfona

Acontecimentos Fatídicos

Em julho deste ano comprei uma escada móvel e em uma tarde estava eu lá limpando os armários de casa quando de repente a escada desaba. Caí no chão e machuquei os dois pés a ponto de ficar quase um mês parada por conta do tombo. E não preciso nem dizer que ficar um mês sem exercício "ferrou" minha vida por completo. A atividade física hoje é para mim uma válvula de escape para não descontar minhas frustações e raivas somente na comida.

Mesmo tendo aprendido a comer bem e melhor, ainda estou anos luz de ser uma mulher que 100% do tempo escolherá uma salada ao invés de uma fatia de pizza. Admiro muito quem consegue, mas honestamente tenho dificuldades em admitir se um dia conseguirei ser assim. Bem, voltando à história…com muita dificuldade superei tombo e voltei a me exercitar. Já estava em meados de fim de agosto. Consegui passar setembro até meados de outubro dentro da "normalidade". Meu peso voltou ao normal e eu estava feliz. Estava tudo sob o controle até que…

Fui acometida de uma apendicite aguda e tive que operar às pressas. Nessa hora pensei: "Caramba, mal acaba um problema já vem outro…" e isso me desmotivou absurdamente. E para piorar o médico vetou exercícios por pelo menos 45 dias. Quase enfartei. Pensei, meu peso vai lá para o espaço de novo e eu ansiosa com tudo isso, ia com certeza acabar comendo até as paredes e acabar refém do efeito sanfona… de novo. 🙁   

efeito sanfona

Correndo Atrás do Prejuízo

Todos esses acontecimentos me afetaram tão profundamente que tudo na minha vida foi tomando segundo, terceiro e até um quarto plano. O site mesmo ficou um tempo sem ser atualizado, meu Instagram (ver) também deu uma parada. Enfim, minha vida e rotina desandaram completamente, pois eu estava lá…tentando correr atrás do prejuízo e voltar ao peso que eu estava em julho. 

Você deve estar se perguntando o quanto eu engordei. Até agora foram 4 quilos! Nem de longe estou justificando meu comportamento "errado" com a comida dado os problemas que passei. Mas a grande verdade é que os problemas me paralisaram e eu cedi. Perdi a batalha contra a balança e apertei o botão do "F" e me permiti sucumbir. Acho que todo mundo eventualmente cansa às vezes. E eu estava cansada e quis jogar a toalha. E isso foi o que mais me chateou…porque eu não entrego os pontos fácil. Sou persistente, dura na queda, sabe? Mas eu fraquejei. Voltei aos velhos hábitos e hoje estou lutando contra o drama do efeito sanfona.

Drama de Todas as Mulheres

Em geral, tendemos a esconder dos outros esse drama pessoal do vai-e-vem do efeito sanfona. É muito complicado admitir a derrota principalmente para outras pessoas. É complicado ver que demos um passo para frente e dois para atrás ou que o tempo passa, passa, passa e lá estamos nós, repetindo os mesmos erros, exagerando com as mesmas comidas, furando com os treinos e nos deixando em segundo ou até terceiro plano. E tudo isso fica ainda pior quando nos deparamos com outras pessoas que conseguem manter o peso e a vida no lugar "faça chuva ou faça sol". Dá uma raiva interna, um senso de fracasso, porque não tem jeito, somos seres que adoram se comparar. E nesse jogo de comparação queremos sempre estar bem "na fita".  

Foi por isso que resolvi escrever esse texto, depois de quase todo esse tempo sem postar aqui. Quero voltar contando a "real" do que aconteceu e porque sumi. Não gosto desta ilusão virtual que muitas blogueiras passam que nada de ruim recai sobre a vida delas. A vida é isso, chuva, sol, riso e lágrima. Por isso que não faço a mínima questão de posar uma vida de blogueira fitness perfeita, porque nem de longe minha vida é isso. Só a gente sabe os leões que matamos todos os dias. 

mudar o corpo

E é por isso que eu entendo o que muitas mulheres encontram aqui no site e sempre voltam. Muitas delas passam os mesmos dramas que eu. Muitas tem marido, casa e filhos para cuidar. Além disso, sofrem o stress da profissão e ainda tem que arrumar tempo para se cuidar, se sentir bonita e conciliar uma série de outras coisas. É por isso que os artigos são interessantes para elas…são pontos em comum, são histórias que se repetem, são problemas que se parecem…enfim, são dramas que nunca acabam. 

É por isso que a atividade de blogar é tão única para mim. Perceber que não estou sozinha nessa dança do engorda-emagrece, e que assim como eu, outras mulheres sofrem com esse problema do efeito sanfona, do controle de peso e das inúmeras outras cobranças que nos fazemos, me motiva a continuar escrevendo, e a dar voz ao que grita dentro de nós e por vezes nos paralisa. E dar essa voz ao mundo é necessária para que a gente "não pire" frente a tudo que temos que lidar. É como uma injeção de ânimo que nos enche de energia e nos revigora a recomeçar…ainda que seja mais uma vez!  

Portanto, "bora" sacudir a poeira e correr atrás do prejuízo, já que o mundo não pára para a gente se recompor. 

Beijo grande e semana que vem tem mais! 😉

Gostou deste texto? Compartilhe-o com outras pessoas! yes

Assinatura Amanda

 

 

 

 

 

Créditos de imagem Flickr

 

12 Comments

  1. Me identifiquei demais com o texto…são tantas coisas que me tiram do eixo e me fazem perder o foco e engordar. Parabéns pelo site!

    • Poxa que bom Yasmim! que você encontre nele sempre a força e estímulo para continuar! Beijo grande!

  2. Amanda, Parece que eu estou lendo e me vendo. É incrível como você consegue descrever o que a gente sente e passa. beijinhos

  3. olha…eu me vi em cada linha deste texto! Eu sei o quanto dificil é passar por isso! bjos

    • Sempre fico muito feliz quando outras mulheres se conectam com o texto! Obrigado pelo comentário!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *